quarta-feira, 10 de março de 2010

Comichões


Outra das coisas que me faz comichão é que se passe a vida a falar mal dos funcionários públicos. Ou é porque trabalham pouco. Ou é porque ganham muito. Ou é porque querem aumentos. Ou por mais uns 654 motivos, que eu não estou para enumerar.
O que eu acho é que, se calhar, estas pessoas não convivem de perto com nenhum. Porque pelo que eu vejo, através da minha mãe, de todos os que trabalham no mesmo serviço que ela e por mais um ou outro caso que conheço noutros serviços públicos, trabalham que se fartam. Fazem horas extra praticamente todos os dias. Levam trabalho para casa. E não recebem mais por isso.
E então quando as pessoas acham que os funcionários públicos não têm motivos para fazer greves? Porque, ainda assim, estão melhor do que os outros trabalhadores. Bem, nesses casos acho que essas pessoas deviam era pensar em lutar, também, pelos seus direitos. Não me cabe na cabeça o pensamento: "Se ele ganha mais do que eu, tem que ganhar menos". Eu sou mais apologista do: "Se ele ganha mais do que eu, quero ganhar tanto como ele". Se bem que, os funcionários públicos só ganhavam, realmente, bem há uns anos atrás. Antes dos congelamentos de salários, aumentos abaixo da inflação, etc. Porque eu tenho vindo a assistir de perto, tendo uma mãe funcionária pública, à perda de poder de compra por parte dos mesmos.
Por isso, minha gente, pensem um bocadinho antes de falar mal da função pública. Eu sei que é muito fácil pôr as culpas de tudo, e mais alguma coisa, nesta classe, mas, se virem bem, eles não só não têm culpa, como também não andam a ser muito bem tratados.

5 comentários:

Dina disse...

Não se podem pôr todos no mesmo saco! Há uns que não fazem mesmo nada e que até diria que são um «cancro» para a sociedade. Agora há outros que merecem as regalias que têm ;)

Mi disse...

Exactamente. Eu também reconheço que há alguns para lá encostados a receber sem fazerem nada, principalmente nas câmaras. Mas faz-me confusão considerarem que toda a função pública é assim.
Acho que muitos deles até merecem mais do que o que têm actualmente, principalmente no que diz respeito a horas extra, aumentos e reformas. Mas isso sou eu, que acho que quem trabalha tem direito a qualidade de vida!
kiss

A Flor disse...

Subscrevo!

Não compreendo a mentalidade de piorar quem está bem (que não estão assim tão bem mas pronto) em vez de melhorar que está pior!

Drama Queen disse...

Como eu te entendo! Tenho um pai funcionário público (reformado) e sempre me fez muita confusão este mania bem portuguesa de falar mal da função pública.

E tens toda a razão: os portugueses são tão mesquinhos, que não querem o melhor para si próprios; querem antes o pior para os outros. É um pouco aquela ideia do "Eu não quero uma mansão. Só quero é que toda a gente viva numa barraca como eu..." Muito triste, mesmo.

Pezinhos de Lã disse...

Confesso que alguns anos, por momentos, o egoismo se abateu sobre mim, confesso, mea culpa, sou humana. Fui funcionaria de um establecimento de ensino superior privado, em que era explorada ate ao tutano, recebia apenas uns trocos, e acredita que eram uns trocos. Sempre que falava com colegas em fazer algo, tinham receio, é o medo de quem trabalha no privado. Mas depois mudei de opinião, ou seja, pelo facto de eu estar mal, não vou desejar aos outros o mesmo que eu certo???? É puro egoismo, se podem fazer algo que marque a diferença, que façam as suas vozes serem ouvidas. Nós do privado é que deveriamos seguir pegadas e não ficar sentados desejando que algo aconteça